Padaria Ponto Quente

                                  Padaria "Ponto Quente"


Estamos vivendo um momento inédito na história das padarias no Brasil. Temos em nossa tradição o consumo diário do famoso " Pão Francês " e temos ainda as padarias tradicionais em todas as principais cidades deste Brasil, tradicionalmente operada por um " Português " um patrício.

Porém os bem sucedidos donos de padarias enriqueceram, criaram seus filhos nos melhores colégios que se tornaram grandes profissionais  e não seguiram os pais.
Diante disso as padarias tradicionais em pontos comerciais nobres, com um enorme custo operacional, já não são tão lucrativas como antes e estão se diversificando para mercados ou padarias gourmets, com grandes lanchonetes e serviço de refeições.

A tradição de comer o pãozinho Francês todos os dias continua aqui no Brasil, porém ele já não é mais tão apreciado, pelo custo e pela qualidade, e pela grande diversidade dos pães industrializados que invadiram o mercado com  e qualidade.

O custo ( Já compramos hoje o pãozinho à R$ 0,80 a unidade)  esta diretamente relacionado com a operação da padaria tradicional , pois ela não é só uma loja é também uma indústria e para instalar e manter uma unidade num ponto nobre de uma cidade é muito arriscado, é preciso abrir as 6 da manhã fechar as 10 da noite e manter 3 turnos de trabalho, gerando pontos de equilíbrio estratosféricos.

Na década de 90 os supermercados implantaram grandes padarias e competiam deslealmente com as padarias nos seus pontos e vendiam o pão barato como chamariz, porém hoje em dia isso se tornou inviável por conta dos custos e da mão de obra não especializada e pela opção de operação com forneamento apenas comprando o pão  das industrias que fabricam o pão francês congelado cru.

Então agora de 2010 para cá estamos assistindo o boom dos fabricantes de pães congelados e correlatos de confeitaria.
Este boom está viabilizando o novo conceito de "Padarias Ponto Quente" que forneam o pão e vendem o pão, só não produzem na unidade.

Este conceito jogou a implantação de uma padaria para patamares de custo viáveis a qualquer pequeno empreendedor com um capital de 50 a 100 mil reais.
O ponto pode ter de 35 a 70 metros quadrados, o layout é simples prático e funcional e com ambiente agradável, a marca pode ter expressão e força no bairro e até na cidade, o tempo de montagem pode variai de 30 a 60 dias no máximo e o ponto de equilibro é bem baixo.

Estas padarias podem funcionar com fornecedores de produtos congelados locais e até de outros estados, permitindo controlar os estoques e até vender os pães bem mais baratos que as padarias tradicionais. É possível também operar uma unidade ponto quente semmão de obra especializada e mais onerosa, e operar em horários racionais, sem trabalho noturno ou de madrugada.

Veja abaixo dois projetos de Padaria Ponto Quente desenvolvidos agora em Janeiro de 2016 e que já estão em fase de implantação.
São lojas de  50 m2 e que foram montadas com menos de 50 mil reais.

O risco de motar e operar uma Padaria "Ponto Quente" é muito baixo e há também a opção de lanches com salgados que também já são fornecidos por diversos fabricantes de produtos congelados.

Eu Paulo Lyrio estou à disposição para orientar se você estiver com interesse em montar uma Padaria " Ponto Quente" orientando desde a escolha do ponto, negociação para aluguel, projeto arquitetônico, compra dos equipamentos, montagem, indicação de fornecedores de produtos congelados, consultoria para operação e até orientar para abertura de um segundo ponto.




            


                  




                           








Nenhum comentário: